::: Poetarum :::

12:22 Posted In , , , Edit This 0 Comments »

::: Poetarum :::



Desperta, Desperta poeta (!)
     Chama por meu nome
 Desperta este teu poeta escondido
   Nas profundezas da alma
      Nas entranhas do ser
  Farta, estou eu, de pouco lirismo
      Desperta (!) Minha voz em ti...
          Nessa contemporaneidade!
   Invoca, poeta!
       Esse teu lirismo adormecido
  Para que eu viva eternamente por séculos
     Nessa imortalidade de seu peito
                              ...esquecido

(Ana Luísa Ricardo)

0 comentários: