Solidão de Poeta

09:34 Edit This 2 Comments »

Não sei o porque me sinto tão triste
    É uma tristeza estranha
    Sem motivo...
    Nem explicação!
Como um buraco no fundo do peito
    Oco...
      
 Um ECO... GRITANDO .. ANDO .. ando...
Dentro, querendo expulsar essa dor sem fim
Que vive em mim
Esse sentimento de tristeza
Poetas são realmente tristes
  
 Não me dói tanto assim
Apenas, me traz inspiração
Ainda que sejam melancólicos meus versos
Versejo do fundo d'alma, de verdade
...
O silêncio ás vezes me assusta
  Como agora...
No meu quarto parcialmente iluminado
 
...pela luz da lua que entra por uma fresta na janela
O vento a toca levemente, rangendo-a baixinho
  
(...)Tudo tão soturno...
A solidão não me assusta, gosto dela
   Como se existissem aqui neste quarto
Vários "eus", rodeando meus pensamentos
   Como espelhos girando nas paredes brancas

A solidão me acompanha
Mesmo, muitas vezes, estando acompanhada
De pessoas próximas
A solidão é fiel
Permanece ali, a invadir meus pensamentos
  
 (...) E hoje neste quarto, só escuto o vento rangendo a janela, meus pensamentos e o irritante barulho do teclado digitando este poema....


"O poeta é só: só ele e a solidão"

 

 

2 comentários:

O Sorriso de Felipe disse...

Como diria Cazuza...

Cara aéroporto é um nome no papel...

você escreve divinamente

Beijos do Poeta

Marco Ramos (Recanto das Letras)

Lord Daniel Salem, Príncipe da deusa Nyx disse...

Olá, Ana! Sou o Lord daniel Salem do site Recanto das Letras :D, o qual vc deixou um comentário no poema que fiz para o Heavy Metal. estou te seguindo aqui^^ espero que siga o meu também! bjs