::Delírios de um poeta sem inspiração:::

04:20 Posted In , , , Edit This 0 Comments »
:::Delírios de um poeta sem inspiração:::



O que me falta para escrever?
Meus pensamentos somem assim
Meio que de repente, sem falar
Ei! inspiração? Cadê você?

Não foges assim de mim
Sou poeta e sem sua companhia
Não posso compor versos
Sem você, oh!Minha doce amada
Sou poeta, mais triste, do universo

Não consigo nem mesmo encontrar
As palavras certas para a poesia
Elas fugiram, não sei para onde
Talvez para perto de teus olhos
Inspiração minha! Onde andas?

Foi pro mundo da lua? Certamente não!
Por que vivo lá, e não te encontrei
Como pode, um poeta, não conseguir rimar?
Meus versos se perderam em liberdade
Sem métrica alguma, sem nexo, sem paixão
Sem ritmo, sem graça, volta inspiração...

Volta, por favor, porque sem ti
Sou incapaz de escrever
Quero o encantamento de teu soprar
Volta e traz rimas pro meu versejar
Sem poesia, não consigo viver

Volta pra esse poeta louco
Delirando madrugada a fora
De saudade de você!

:::O amor em desconcerto:::

12:54 Edit This 1 Comment »


::::O amor em desconcerto::::

(Ana)
A mulher quando se apaixona
O faz com toda a intensidade
Sem razão, sem racionalizar
Sem preocupação, apenas ama
Não "apenas" por ser pouco
Mas por ser tudo, e sendo tudo
Se torna complexo ao ponto
De ser simples demais...

(Wagner)
Já o homem, ama
Como se o amanhã não existisse
Ele ama em um dia para sempre
Constante, e reza para que
Na sua frente não apareça
Um outro par de pernas
Se ver, já viu, já foi, é instinto
Bicho homem, não questiona se gostar ama

(Ana)
Fale o que quiser, mulher sabe ser fiel
Quando o amor vai se acabando
E aparece um outro amor, espera
Termina, ama exclusivamente e quer também
Ser única e mais ninguém
Se não, já sabe no que vai dar
Homem precavido, não duvida
Da intensidade do ciúmes de uma mulher!

(Wagner)
Ah, deixe-me em paz mulher!
Seus olhos só brilham com
Joias, carros e vestidos
Com esse rosto de quem nada quer
Em amardilha de conquista não irei mais cair
Mas se for para falar de amor
Venha, no lugar onde só nós há de saber

(Ana)
Até parece que
Com esse seu ar intimidador
Possa entender um coração
Pra falar de amor, não basta!
Amor não se traduz em palavras
Ah! Homem não sabe de nada
Me convença então se puder
Consegue ler pensamentos?

(Wagner)
Moça, não preciso ler nenhuma forma de amor
E sei que ao seu lado,
Nunca andarei um caminho só
Enquanto eu estive ao seu lado
Pois agora entenda, as vezes só necéssito que você
Precise de alguém, que seria eu
Eu sei que no fundo, carinhos é o que você quer ganhar

(Ana)
Ah! Não preciso de mais nada
Quando no laço perfeito do seu abraço
Sei que é somente ao seu lado
Que num caminho, jamais só
Só deixo que me leve contigo
No fundo, bem no fundo, eu sei!
Moço, não precisa me provar
Que é amor, ou que sabe amar

(Wagner)
É que ás vezes tenho medo moça
Tenho medo de perder o pouco que ganhei nessa vida
Mas não posso esconder todo o meu amor diante de seus olhos
Foi amor, é amor, e sempre será enquanto
O que carrego no peito pulsar, continuarei a te amar
Assim será e assim que tem que ser
É que não da para explicar todo amor que sinto por você!

::::Ana Luísa Ricardo  &  Wagner Cardaccio::::

Solidão de Poeta

09:34 Edit This 2 Comments »

Não sei o porque me sinto tão triste
    É uma tristeza estranha
    Sem motivo...
    Nem explicação!
Como um buraco no fundo do peito
    Oco...
      
 Um ECO... GRITANDO .. ANDO .. ando...
Dentro, querendo expulsar essa dor sem fim
Que vive em mim
Esse sentimento de tristeza
Poetas são realmente tristes
  
 Não me dói tanto assim
Apenas, me traz inspiração
Ainda que sejam melancólicos meus versos
Versejo do fundo d'alma, de verdade
...
O silêncio ás vezes me assusta
  Como agora...
No meu quarto parcialmente iluminado
 
...pela luz da lua que entra por uma fresta na janela
O vento a toca levemente, rangendo-a baixinho
  
(...)Tudo tão soturno...
A solidão não me assusta, gosto dela
   Como se existissem aqui neste quarto
Vários "eus", rodeando meus pensamentos
   Como espelhos girando nas paredes brancas

A solidão me acompanha
Mesmo, muitas vezes, estando acompanhada
De pessoas próximas
A solidão é fiel
Permanece ali, a invadir meus pensamentos
  
 (...) E hoje neste quarto, só escuto o vento rangendo a janela, meus pensamentos e o irritante barulho do teclado digitando este poema....


"O poeta é só: só ele e a solidão"

 

 

15:40 Posted In , , Edit This 1 Comment »
Sonhos de uma bailarina




Sonhei
Com um lugar encantado
Te vi
Num jardim perfumado
Você me levou
Para um pátio iluminado

Eu dancei contigo
Na ponta dos pés
Rodopiei
Pelo céu eu delizei
Você parecia ser de papel
E o meu universo girava
Feito um carrossel

Envolvi-me em seus braços
Dançamos juntos
Na batida perfeita de um abraço
Meus cabelos presos em um laço
Desfizeram-se

Nesse sonho tão bonito
Fui girando ao infinito
E só precisava
Que viesse comigo

Mas tudo teve um fim
Quando não te vi ali
Quando acordei e espreguiçava
E ao redor eu olhava
Você não estava aqui...